Terroristas e Morte

Por Ken Ham e Dr Jonathan Sarfati

 

A Sociedade Criacionista Brasileira, em face dos infaustos acontecimentos ocorridos no dia 11 de setembro nos Estados Unidos da América do Norte, associa-se à sua congênere “Answers in Genesis” publicando o texto abaixo divulgado por ela em sua “AiGNews”, intitulado “Terrorists and Death”.

 

Segue o texto e logo abaixo a versão original em Inglês.

 

 

“Answers in Genesis” (bem como a Sociedade Criacionista Brasileira) expressa aqui a sua simpatia a todas as famílias que perderam entes queridos em conseqüência dos devastadores ataques terroristas que aconteceram no dia 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos da América do Norte. Foram eles atos de suicídio e assassinato em massa covardemente efetuados por terroristas destituídos de qualquer respeito à vida humana.

 

 

À medida em que o choque causado por esses terríveis acontecimentos vai sendo superado, muitos provavelmente se perguntam por que essas coisas horríveis ocorrem. Outros estarão fazendo interrogações do tipo: “Como pode existir um Deus de amor controlando o universo, à luz de tanta morte e sofrimento?”

“Answers in Gênesis” tem abordado extensamente a questão da morte e da violência, e estão disponíveis em nossa “home page” artigos como por exemplo “Por que um Deus de amor permitiria o sofrimento?”.

A partir da perspectiva da história literal do Livro de Gênesis, o mundo perfeito - descrito por Deus como “muito bom” - foi desfigurado por causa da rebelião de Adão. O pecado entrou no mundo que antes era um paraíso.

Porque Adão foi o pai da raça humana, e todos nós somos descendentes de Adão, a Bíblia torna claro que todos nós pecamos (Romanos 5:12; I Coríntios 15:21-22). Em I Coríntios 15:26 Paulo descreve a morte como o “último inimigo”. E este é o ponto - a morte é uma inimiga - é uma intrusa. A morte do ser humano e dos animais não fazia parte da criação original.

Lamentavelmente, os que ensinam que o mundo tem milhões de anos não possuem resposta para o porquê da existência da morte e do sofrimento no mundo. Acreditando-se em milhões de anos, resulta que a morte e o sofrimento têm feito parte permanente deste mundo. Os cristãos que têm acreditado nos supostos milhões de anos da história da Terra, na realidade estão crendo que Deus descreveu todo esse sofrimento e morte como “muito bom”(Gênesis 1:310. Pior ainda, acreditar que Deus usou o “último inimigo” como meio para efetuar uma criação “muito boa”.

A Bíblia deixa claro que a morte é a penalidade para nosso pecado. Em outras palavras, realmente a culpa é nossa pelo mundo ser o que é. Ao pecarmos, como Adão, estamos afirmando de fato que desejamos viver sem Deus. Todos nós pecamos individualmente - Romanos 3:23. Deus teve de julgar o pecado, como tinha advertido Adão que faria (Gênesis 2:17, cf. 3:19). Ao assim fazer, Deus nos permitiu experimentarmos como é a vida sem Ele - um mundo em degradação, um mundo pleno de sofrimento e morte. Como é dito em Romanos 8:20-22, toda a criação geme e padece de dores de parto. Essencialmente, o ser humano foi privado de seu direito à vida.

É importante observar que a Bíblia ensina que o sofrimento individual é parte de um quadro mais amplo, e nem sempre está correlacionado com um pecado particular do indivíduo que sofre. Jó sofreu intensamente, embora fosse o homem mais justo sobre a Terra. Certo homem nasceu cego, e Jesus refutou a idéia de isso ter resultado dos próprios pecados dele, ou de seus pais, e sim para demonstração do poder de Deus (ao Jesus curá-lo - S. João, capítulo 9).

Jesus disse algo que se aplica diretamente à nossa tragédia atual. Estavam presentes naquela ocasião algumas pessoas que lhe falaram dos Galileus cujo sangue Pilatos havia misturado com os seus sacrifícios. E Jesus, respondendo, disse-lhes: “Supondes que esses Galileus eram mais pecadores que todos os demais, porque sofreram tais coisas? ... Ou que aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, eram mais pecadores do que todos os outros habitantes de Jerusalém?”(Lucas 13:14).

Os horripilantes eventos atuais, ao contrário de tragédias como as da Torre de Siloé, na realidade são conseqüências da maldade humana individual, isto é, dos terroristas, e não das vítimas. É provável que os que os perpetraram foram acionados em parte por um intenso ódio contra o cristianismo, por eles associado aos Estados Unidos da América do Norte.

Todos nós herdamos essa propensão para o mal, por sermos descendentes de Adão. Entretanto, Deus, em Sua misericórdia, Se fez presente na história mediante a pessoa de Seu Filho, o Senhor Jesus Cristo (João 1:1-14). Ele Se tornou homem para que pudesse sofrer a morte (a penalidade pelo pecado) na cruz, pagando os pecados de Seu povo (o que significa também que o próprio Deus pode pessoalmente simpatizar-se com o sofredor, por ter experimentado o sofrimento). Ele também ressurgiu dos mortos, mostrando que tinha o poder total - poder sobre a própria morte. (Ver também “Realmente Jesus ressuscitou dos mortos?”). Aqueles que depositam sua fé e confiança em Cristo como Salvador podem passar a eternidade com o Senhor em um lugar onde não mais existirá a morte (Apocalipse 21:8).

Entretanto, Deus não se deleita com a morte do ímpio. “Assim como Eu vivo, diz o Senhor, não tenho prazer na morte do ímpio, mas que o ímpio se converta e viva. Convertei-vos dos vossos maus caminhos, pois por que morrereis, ó casa de Israel?” (Ezequiel 33:11). Em outras palavras, Deus não tem prazer nas aflições e calamidades que sobrevêm às pessoas. Ele é um Deus de amor e misericórdia, e é por nossa própria culpa que a humanidade hoje está nessa situação de sofrimento e morte.

Por outro lado, Deus declara que “preciosa é à vista do Senhor a morte de Seus santos” (Salmo 116:15). Isto porque, embora sejamos pecadores, os que confiaram em Cristo estarão na eternidade com Seu Criador em um lugar onde habita a justiça, e não haverá mais pranto, sofrimento ou morte. E Deus “enxugará de seus olhos toda lágrima, e não mais haverá morte, tristeza, pranto e nem dor, pois as primeiras coisas passaram” (Apocalipse 21:4).

Façamos deste dia de uma horrível tragédia, um dia em que as pessoas se lembrem da causa primária de tal calamidade: nosso pecado - nossa rebelião contra Deus. Que este dia possa ser também uma recordação de que um Deus de amor, apesar de nossa pecaminosidade, quer que passemos a eternidade com Ele. E que este dia seja também uma lembrança de que os cristãos precisam estender um braço de amor e de conforto para aqueles que neste momento necessitam de conforto e forças - vamos ajudá-los a encontrar essas forças nos braços de um Criador amorável que detesta a morte, a inimiga que um dia será lançada no lago de fogo (Apocalipse 20:14).

Nossa esperança está em Cristo. Ao nos lembrarmos disso, oremos pelas famílias que foram afetadas por esses horríveis acontecimentos.

 

Tradução efetuada pela Sociedade Criacionista Brasileira.

 

 

 

 

 

Terrorists and Death

 

By Ken Ham and Dr Jonathan Sarfati

 

Answers in Genesis expresses its sympathy to all the families who have lost loved ones as a result of the devastating terrorist attacks on the US on September 11, 2001. These were cowardly acts of suicide/mass murder by terrorists who lack the slightest respect for human life.

As the shock of these horrible events subsides, many people are probably asking why such horrible things occur. Others may be asking questions such as: 'How can there be a loving God controlling the universe in the light of such death and suffering?'

Answers in Genesis has written much on the subject of death and violence-articles are available on our Web site, e.g. Why would a loving God allow suffering?

From a perspective of the literal history of the Book of Genesis, the perfect world-described by God as 'very good'-was marred because of Adam's rebellion. Sin entered the world that was once a paradise.

Because Adam was the head of the human race, and we are all descendants of Adam, the Bible makes it clear that we all sinned in Adam (Romans 5:12 - I Corinthians 15:21, 22). In I Corinthians 15:26 Paul describes death as the 'last enemy.' And that's the point-death is an enemy-it's an intrusion. Death of man and the animals was not a part of the original creation.

Sadly, those who teach that the world is millions of years old have no coherent answer as to why there is death and suffering in the world. If one believes in millions of years, then death and suffering have been a permanent part of this world. For those Christians who have believed in the supposed millions of years of history, then they have effectively taught that God describes all this death and suffering as 'very good' (Genesis 1:31). It's worse if one believes 'God used evolution,' because evolution relies on death of the 'unfit'-this would mean that God actually used 'the last enemy' as His means to achieve a 'very good' creation.

The Bible makes it clear that death is the penalty for our sin. In other words, it is really our fault that the world is the way it is. When we sinned in Adam, we effectively said that we wanted life without God. All of us also sin individually-Romans 3:23 . God had to judge sin, as He warned Adam He would (Genesis 2:17 , cf. 3:19 ). In doing so, God has given us a taste of life without Him-a world that is running down-a world full of death and suffering. As -Romans 8:20-22 says, the whole creation groans and labours with birth pangs. Man in essence forfeited his right to live. It's important to note that the Bible teaches that individual suffering is part of this 'big picture'; it is not always correlated with a particular sin by that individual. Job suffered intensely although he was the most righteous man on Earth. A man was born blind, and Jesus refuted the idea that it was due to his own sin or his parents'; rather, it was to demonstrate the power of God (when Jesus healed him-John 9 ).

Jesus said something directly applicable to this present tragedy: There were present at that season some who told Him of the Galileans whose blood Pilate had mingled with their sacrifices. And Jesus answering said unto them, "Suppose ye that these Galileans were sinners above all the other Galileans, because they suffered such things? ... Or those eighteen upon whom the tower of Siloam fell and slew them, think ye that they were sinners above all other men that dwelt in Jerusalem"? (Luke 13:14).

Unlike tragedies like the Tower of Siloam, these ghastly events are indeed the consequence of individual human evil, i.e. of the terrorists, not the victims. It is likely that the perpetrators were ones fuelled in part by an intense hatred of the Christianity they still associate with America. We all inherit this propensity to evil because of our descent from Adam. God in His mercy, however, stepped into history in the person of his Son, the Lord Jesus Christ (John 1:114). He became a man so He could suffer death (the penalty for sin) on a cross, paying for the sins of His people (it also means that God Himself can personally empathise with suffering, since He has experienced it). He also rose from the dead, showing he had ultimate power-power over death (see also Did Jesus Christ really rise from the dead?). Those who put their faith and trust in Christ as Saviour can spend eternity with the Lord in a place where there will be no more death (Revelation 21:4).

But the Bible warns that those who reject Christ will taste a 'second death'-eternal separation from God (Revelation 21:8). But God does not delight in the death of the wicked. Say unto them, As I live, said the Lord GOD, I have no pleasure in the death of the wicked; but that the wicked turn from his way and live: turn you, turn you from your evil ways; for why will you die, O house of Israel? (Ezekiel 33:11). In other words, God takes no pleasure in the afflictions and calamities of people. He is a loving merciful God-it is our fault that man is in the current situation of death and suffering. God states, however, that precious in the sight of the LORD is the death of his saints (Psalms 116:15). This is because even though we are sinners, those who have trusted Christ will spend eternity with their Creator in a place where righteousness dwells-and there will be no more crying, suffering or death.

And God shall wipe away all tears from their eyes; and there shall be no more death, neither sorrow, nor crying, neither shall there be any more pain: for the former things are passed away (Revelation 21:4).

Let this day of horrible tragedy be one in which people are reminded of the ultimate cause for such calamity: our sin-our rebellion against God. Let this day also be a reminder that a loving God, despite our sinfulness, wants us to spend eternity with Him. And let this day be a reminder that Christians need to stretch forth a loving, comforting arm to those who are in need of comfort and strength at this time-and let's help them find such strength in the arms of a loving Creator who hates death, the enemy that will one day be thrown into the Lake of Fire (Revelation 20:14).

Our hope is in Christ. As we remember this, please pray for the families that have been affected by these horrible events.

Pass it On

Please feel free to forward this email to people you know who might be interested.

If you have had this passed on to you and wish to receive AiG Email News directly, please send an email to O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. with your details.

 

 


AiGNews (08/02/2002)   [5]

Você está aqui: Home Notícias Terroristas e Morte