Evidência arqueológica do Templo de Salomão

da redação da Revista Adventista

 

No final do ano passado a descoberta de uma urna funerária com inscrição em aramaico mencionando o nome de "Tiago, filho de José, irmão de Jesus" chamou a atenção da mídia. Agora, outra descoberta está sendo apontada como a confirmação de um relato bíblico. É um bloco de pedra originário do Mar Morto, do tamanho de um caderno escolar, com inscrições em fenício, onde se lê que o rei israelita Joás instruiu os sacerdotes a recolher dinheiro para pagar as reformas do primeiro Templo de Jerusalém, construído por Salomão. O texto da pedra é similar a descrições do mesmo fato em II Reis. Os exames feitos no artefato indicaram a presença de salpicos de ouro fundido na superfície da pedra, que poderiam ter sido causados por um incêndio, como o que destruiu o Templo de Salomão, em 586 a.C. Evidências arqueológicas desse famoso templo nunca tinham sido encontradas.

No entanto, segundo Rodrigo P. Silva*, professor de Arqueologia do Unasp, campus 2, "o melhor, por enquanto, é esperar que estudos mais aprofundados sejam feitos e os artigos científicos publicados em revistas indexadas de Arqueologia comecem a aparecer".

 

 


Bloco de pedra com inscrições em fenício 

_____________________________________
*Rodrigo P. Silva é professor de Arqueologia e Filosofia no Unasp - Campus 2, Engenheiro Coelho, SP.

 

Entrevista publicada em março de 2003 na revista

 

  


Revista Adventista (01/03/2003)   [14]

Você está aqui: Home Notícias Evidência arqueológica do Templo de Salomão